sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Denúncia do blog sobre chibé servido em escola repercutiu em todo o país. Promotor de Augusto Corrêa cobrou providências

O promotor Maurim Vergolino descobriu que deram merenda para estranhos
A função do bom jornalismo é não ficar ao lado de governos - seja ele federal, estadual ou municipal -, mas denunciar o mau uso do dinheiro público. Foi o que o blog Ver-o-Fato fez na semana passada, quando mostrou duas fotografias, enviadas do município de Augusto Corrêa, denunciando que na Escola Municipal de Ensino Fundamental "Washington Rodrigues" os alunos, por falta da merenda escolar, estavam comendo farinha com açúcar e água, o popular chibé. Sem dúvida, uma vergonha. E o pior, os recursos foram repassados pelo Ministério da Educação para o município.

Então, o que ocorreu? Simplesmente deram a merenda das crianças para pessoas estranhas à escola. Diante disso, o Ministério Público do Estado, por meio da Promotoria de Justiça de Augusto Corrêa, representada pelo promotor de Maurim Lameira Vergolino, expediu recomendação aos gestores de escolas municipais e à secretária de educação, para que sejam adotadas providências para evitar problemas com relação a merenda escolar.

No dia 30 de setembro, Maurim Lameira, esteve na escola e apurou que o fato em questão não decorreu por falta ou atraso no fornecimento de merenda pela Secretaria Municipal de Educação, mas sim, pela má gestão dos alimentos na própria escola, já que durante evento alusivo à Semana da Pátria, o estoque de merenda foi usado para alimentar parentes de alunos, membros da comunidade e integrantes de uma banda de música.

O promotor também observou na escola problemas como a preparação da merenda sem que se considere o número de alunos presentes no dia; o não cumprimento do cardápio programado, além do armazenamento da merenda em sala que não havia porta com tranca. Ou seja, situações que possibilitam o desperdício e a apropriação dos alimentos. Ele também constatou que a  merenda vem terminando antes do tempo planejado.

"É indispensável a atuação eficiente dos gestores de escola para prevenir desvios de finalidade e a apropriação dos alimentos" destacou Lameira, que no mesmo dia visitou mais três escolas, constatando em todas elas o fornecimento de merenda de qualidade. Ele viu ainda que em quase todas as escolas o cardápio programado vem sendo cumprido.

Diante dos fatos, o promotor determinou que os gestores das escolas municipais inspecionadas em Augusto Corrêa, adotem medidas para evitar furtos, e apropriação da merenda escolar. Também recomendou que os gestores  fiscalizem praticas de planejamento e controle no uso dos alimentos, e que não haja autorização de consumo  à pessoas estranhas ao corpo discentes da escola.

Uma vergonha: as crianças não tinham nada decente para comer
O blog mostrou um aluno comendo chibé

Um comentário:

  1. Parabéns pela matéria e por sua merecida repercussão. Teu Blog veio na hora certa. Tais notícias não saem na grande imprensa, cada dia mais afastada da realidade das ruas e do povo.

    ResponderExcluir