VER-O-FATO: Federais apreendem madeira ilegal na Belém-Brasília. Toras seriam vendidas no Maranhão

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Federais apreendem madeira ilegal na Belém-Brasília. Toras seriam vendidas no Maranhão

Apesar  de informações oficiais contraditórias - algumas dizem que o desmatamento no Pará está caindo, enquanto outras garantem que ele está aumentando -, a madeira ilegal extraída de nossas florestas está saindo diariamente rumo a outros estados. 

Na madrugada de hoje, por exemplo, agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreenderam  no município de Ulianópolis, no sudeste do Pará, dois caminhões que transportavam cargas ilegais. O primeiro flagrante ocorreu no km 45 da rodovia BR-010 (Belém-Brasília), quando os policiais abordaram um caminhão e, durante a fiscalização, foi encontrada uma carga de 27,5 metros cúbicos de madeira serrada, de espécies diversas. 

Ocorre que ao ser solicitada a documentação, o motorista teria afirmado aos policiais não possuir as documentações fiscais e ambientais. Ele disse ainda que a madeira teria sido carregada em uma serraria no município e que seguiria para cidade maranhense de Açailândia, onde ele receberia R$ 2 mil pela entrega.

Já no km 41 da mesma rodovia, o condutor de um outro caminhão foi abordado e após os policiais pedirem a apresentação do Guia Florestal e Documento Auxiliar de Nota Fiscal Eletrônica, que informava uma carga de 28 metros cúbicos de madeira serrada, verificaram que a validade do documento estava vencida.

Além disso, ao medir o volume transportado, observaram que a quantidade era de 36,8 m³ de madeira serrada, maior do que a declarada nos documentos. A carga teria como destino a cidade maranhense de São José de Ribamar. Diante dos flagrantes de crimes ambientais, foi lavrado o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

Os dois veículos e os respectivos volumes ficaram retidos no posto da polícia rodoviária de Ulianópolis, à disposição dos órgãos ambientais. Fonte e foto: Polícia Rodoviária Federal.

                         A fraude: havia mais madeira no caminhão do que o declarado

Nenhum comentário:

Postar um comentário