VER-O-FATO: Delegada Rosalina Arraes é afastada do caso Joelma X Chimbinha. Enfim, uma informação jornalística.

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Delegada Rosalina Arraes é afastada do caso Joelma X Chimbinha. Enfim, uma informação jornalística.

É possível fazer, ou tentar fazer, jornalismo nesse ambiente de fofocas em que está mergulhado o caso Joelma x Chimbinha? Claro que é. Então, lá vai essa de primeira, que não é fofoca, mas fato que acaba de acontecer: o delegado-geral, Rilmar Firmino, chefe da Polícia Civil paraense, comunicou à delegada Rosalina Arraes que ela está afastada do caso. Rosalina Arraes é a responsável pelo inquérito que apura supostas ameaças de Chimbinha contra Joelma.

A delegada foi chamada agora pela manhã à sede da Delegacia-Geral, na avenida Magalhães Barata, quando foi comunicada oficialmente de que o inquérito será deslocado da Delegacia da Jaderlândia para a Delegacia-Geral, até que Rilmar Firmino decida quem será o novo delegado responsável pelo caso.

Não se sabe se o motivo do afastamento da delegada seria pelo fato de ela ter posado numa foto ao lado de Joelma, depois que a cantora prestou depoimento na Delegacia de Jaderlândia, ontem. De qualquer maneira, segundo uma fonte, o afastamento já teria sido decidido ontem mesmo, depois da repercussão na mídia e nas redes sociais sobre a presença da cantora naquela delegacia.

Uma fonte da Polícia Civil, pedindo reservas ao blog Ver-o-Fato sobre sua identidade e cargo, revelou que a decisão de afastar Rosalina Arraes teria o dedo do guitarrista Chimbinha, ligado a gente poderosa dentro da Secretaria de Segurança Pública. "A agredida e ameaçada é a Joelma, não o Chimbinha. Por isso, ninguém está entendendo porque tiraram o caso da delegada Rosalina Arraes, uma profissional competente e honrada", disse a fonte. 

Enquanto os bastidores policiais fervem no caldeirão de vaidades, dê uma olhada abaixo nas manchetes dos nossos jornalões sobre o caso. O blog cantou essa pedra, ontem.

2 comentários:

  1. Boa tarde! A Polícia Civil tem a esclarecer, a respeito da denúncia formalizada pela cantora Joelma Mendes, na data de ontem, que o procedimento policial instaurado na Delegacia da Jaderlândia foi transferido hoje para a Divisão Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), unidade policial de referência nacional na investigação de crimes relacionados à violência contra a mulher. A transferência do inquérito se deve em decorrência da natureza do crime denunciado, que está previsto na Lei Maria da Penha, e ainda pela repercussão do fato, e nada tem a ver com a conduta da delegada Rosalina Arraes, sendo, assim, errada a afirmação de afastamento da policial civil do caso.

    Ao mesmo tempo, a instituição policial afirma que, por meio de sua Corregedoria-Geral, instaurou procedimento para apurar as circunstâncias do vazamento ao público de informações do boletim de ocorrência registrado pela cantora na Delegacia da Jaderlândia, que deveriam ser preservadas, conforme prevê a legislação penal brasileira.

    A Polícia Civil ressalta que todas as informações referentes ao andamento da apuração da denúncia serão tratadas em sigilo, também conforme prevê a legislação penal brasileira.

    Jornalista Walrimar Santos, Assessor de Comunicação da Polícia Civil do Pará.

    ResponderExcluir
  2. A questão é a seguinte: se não era a delegada competente para o caso, por que, então iniciou o procedimento apuratório? Não seria melhor ter dito à Joelma: olha, procure a Delegacia da Mulher. Começou e foi afastada. Então, não é errado dizer isso. Quanto ao vazamento, qualquer pessoa tem direito a manter sua privacidade, celebridade ou não. Isso é crime praticado pela própria polícia.

    ResponderExcluir