domingo, 2 de agosto de 2015

PMDB namora Éder Mauro, mas Priante vai disputar prefeitura


Éder Mauro, o delegado de polícia que se elegeu deputado federal pelo PSD, sabe que apenas o suposto apoio popular não basta para chegar onde imagina: a prefeitura de Belém. Para encarar uma disputa eleitoral em 2016, num quadro político hoje confuso e sob desconfiança das ruas, é preciso fazer alianças políticas e buscar recursos para bancar as despesas de campanha.

Isso, pelo visto, aparentemente, não irá lhe faltar. O PMDB, partido controlado há décadas pelo atual senador e ex-governador Jader Barbalho, flerta com o delegado e já o apoia discretamente, abrindo espaços no jornal que é pau e pedra para toda obra pesada: o Diário do Pará.

É um apoio, porém, perigoso e sujeito a algumas inconveniências. Uma delas é a de manter o candidato refém das vontades de Jader e de seu jornal, cujo humor impresso é tabelado no mercado da subserviência. O elogio de hoje pode ser o ataque virulento de amanhã. Que o diga um importante quadro partidário da casa, o deputado federal José Priante, que só não se elegeu prefeito de Belém, em 2008, porque literalmente foi boicotado dentro do próprio PMDB.

Priante não cedeu à tutela de Jader e o Diário, por meio de Jader Filho, conspirou para derrotá-lo. Quando Priante precisava do apoio do jornal, este decidiu ficar “isento”. Priante já tinha ido para o sacrifício, em 2006, ao lançar-se candidato ao governo do Estado e seus 438.071 votos impediram que Almir Gabriel – então inimigo paroquial de Jader – tivesse a chance de vencer a senadora Ana Júlia Carepa (PT) ainda no primeiro turno. Ela derrotou Almir no segundo turno e, para obter a vitória, teve em Priante um decisivo aliado.

O PSD é um partido pequeno e sem densidade eleitoral em Belém. Mas, se vier a abrigar-se sob o guarda-chuva coligado do PMDB, a vida de Éder Mauro não será nada fácil. O partido de Jader tem problemas internos e gente que não parece disposta a abrir mão de encarar a disputa pela cadeira de prefeito. É o caso, por exemplo, do próprio deputado José Priante, que tem eleitorado forte em Belém e terá de ser ouvido por Jader antes de o PMDB decidir se apoiará um candidato de outra legenda.

Por telefone, procurado pelo blog Ver-o-Fato, Priante, ao ser perguntado se apoiaria Éder Mauro, foi incisivo e, ao mesmo tempo, revelador: “sou pré-candidato à prefeitura de Belém”. Curtindo o último dia do recesso parlamentar no Rio de Janeiro, o deputado emendou que o PMDB “não precisa ter um candidato de fora do partido se tem ele (Priante) com chance de derrotar Zenaldo Coutinho”.

Como se vê, um ano e dois meses antes da eleição, Éder Mauro ainda não testou o próprio estômago na arte de engolir sapos. No PMDB paraense - e o delegado-deputado precisa aprender isso -, o sapo está mais preparado para engolir candidatos, até mesmo de fora da legenda, do que ser engolido por eles.


4 comentários:

  1. pelo cabelo o eder tá ganhando de goleada
    quá quá quá quá quá
    dá-lhe cabôco!!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Já está mais do que na hora do PMDB dar um voto de confiança ao Priante. Afinal de contas, experiência ele tem! O Eder Mauro ainda está "cheirando a leite" na política paraense e tem mais é que ficar quietinho aguardando a sua vez.

    ResponderExcluir
  4. Deputado, você tem tudo pra ser Prefeito de Belém, só não se una com as velhas raposas, e faça uma boa administração como Prefeito, começando das periferias para o centro de Belém. Pode contar comigo cansamos das mesmices políticas em nossa Capital.

    ResponderExcluir