VER-O-FATO: Empresário acusa prefeito de calote e corrupção

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Empresário acusa prefeito de calote e corrupção


O empresário Maridilson da Luz Lisboa acusa o prefeito de São Sebastião da Boa Vista, Getúlio Brabo de Souza (PT) de praticar diversas irregularidades na administração desse município do arquipélago do Marajó. Ele mandou documentos aos Ministérios Público Estadual e Federal, Tribunais de Contas, para deputados, jornalistas e advogados, denunciando o que chama de “rede de corrupção” que envolveria não só o próprio Getúlio Brabo, como o tesoureiro da prefeitura, Nonato Farias, a empreiteira RB Construtora, que ganha todas as licitações de obras, recebe dinheiro público, mas não as conclui, e até um gerente do Banco do Estado do Pará que atua em Belém, além de outros servidores de menores escalões de São Sebastião da Boa Vista.

“Eles quiseram acabar comigo, me deram calote, me fizeram perder dinheiro, mas estou com a minha dignidade intacta e pronto para enfrentar esses corruptos”, afirmou Maridilson Lisboa em contato com o “Ver-o-Fato”. Ele exibe documentos, cheques, fotografias, vídeos e diz ter como provar todas as acusações que faz ao prefeito e aos outros envolvidos.A papelada já está na mesa de várias autoridades para a tomada de providências.

O blog apurou que Maridilson, por conta de sua briga com o prefeito e outras pessoas que acusa, responde a processo judicial por injúria, calúnia e difamação, além de outro, na área civil, com pedido de indenização por dano moral movido pelo prefeito Getúlio Brabo. A audiência do processo está marcada para março de 2016. O prefeito se diz ameaçado pelo empresário, que por sua vez alega que irá reaver na Justiça tudo o que Brabo fez contra ele, causando-lhe enormes prejuízos. 
A principal questão entre Maridilson e Brabo envolve a construção da nova orla da cidade, uma obra que se arrasta por longas datas. A história começa em meados de 2012, quando Maridilson celebrou com a prefeitura um contrato de aluguel de uma balsa de sua propriedade para fazer o transporte de areia e outros materiais para a obra.

Ocorre que o prefeitura não pagou o serviço, deixando uma dívida alta com Maridilson. O empresário tentou por diversas vezes receber o pagamento, mas o prefeito Getúlio Brabo “não honrou o compromisso assumido”, de acordo com a denúncia. Há registros telefônicos e cartas enviadas pelo empresário, fazendo a cobrança. A dívida, porém, nunca foi paga.

A surpresa de Maridilson veio quando o prefeito, além de não saldar o débito, decidiu denunciar o empresário por crime ambiental. No meio da confusão, a balsa de Maridilson, alugada para a prefeitura, naufragou na frente da cidade, o que elevou o tamanho do prejuízo do empresário, obrigado a gastar dinheiro para tirá-la do fundo do rio. Ele registrou o resgate da balsa com fotografias, mais uma das provas que diz ter contra o prefeito.

O blog tentou falar com o prefeito, mas ninguém retornou as ligações. O espaço, contudo, está aberto ao prefeito Getúlio Brabo para que ele apresente sua versão dos fatos. Enquanto isso, Maridilson Lisboa adianta que só irá sossegar quando ver o prefeito pagar pelo calote que lhe aplicou e as autoridades investigarem as maracutaias que rolam na prefeitura. 

“Confio em Deus e na Justiça”, resume Maridilson Lisboa. 

 
Maridilson: "Tenho provas"                                    Brabo: processo por calúnia

Nenhum comentário:

Postar um comentário