INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL

Linha de Tiro - 12/04/2018

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Acusada de sonegação, Cerpasa toma porre de 18 ações penais


O promotor de Justiça, Francisco de Assis Santos Lauzid da Promotoria de Justiça de Crimes contra Ordem Tributária ajuizou em junho/julho deste ano, 11 novas Ações Penais em desfavor de 4 réus: a primeira ré, sócia presidente do estabelecimento infrator, o segundo réu, administrador geral e procurador de contribuinte, responsáveis pela execução dos delitos ordenados pelos dois primeiros acusados, da Cervejaria Paraense S/A (Cerpasa) com sede em Icoaraci, em Belém.

O “caso Cerpasa” como é conhecido, chega agora à marca de 18 ações penais, somadas as 7 ações anteriormente ajuizadas ao longo de maio a junho deste ano, atingindo o montante de sonegação na ordem de R$312.851.598,62 (valores atualizados até junho de 2015).

Segundo a Promotoria esses valores, dado à atualização monetária e juros, até o trâmite final das ações poderá atingir quase meio bilhão de reais.
As condutas imputadas nas ações penais, números dos autos, corréus e débitos fiscais podem ser conferidos na tabela denominada “Caso Cerpasa”.

O maior débito fiscal aponta para a ação penal no valor de R$95.200.442,08 e é imputado a Helga Irmengard Jutta Seibel (sócia presidente), José Ibrahim Sassim Dahas (administrador e procurador do contribuinte), Paulo César Noveline (contador geral) e Jocineide Santa Brígida Barros (contadora responsável pela elaboração das Declarações de Informações econômico-fiscais da Cerpasa (Defis).

Outros três débitos significativos apontam valores na ordem de R$ 38,9 milhões, R$ 27,1 milhões, R$ 16,5 milhões,  R$15,9 milhões e R$ 13,7 milhões, imputados aos mesmos réus acima citados, tanto de ações atuais como das anteriormente ajuizadas. 
Fonte: Ministério Público do Pará

O blog não conseguiu falar com nenhum dos advogados que defendem a Cerpasa para que eles se manifestassem sobre as 18 ações judiciais movidas contra a cervejaria pelo Ministério Público. Na sede da empresa ninguém quis falar. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário