VER-O-FATO: TV Liberal mata "Pé-de-Boto". Era mentira

quinta-feira, 30 de julho de 2015

TV Liberal mata "Pé-de-Boto". Era mentira

Por volta das 11 da noite de ontem, recebi de um amigo no Facebook a ( des) informação abaixo, para que eu checasse se era verdadeira. Passei mais de uma hora até encontrar uma fonte correta, que me dissesse se era correta ou falsa o que se espalhava pelas redes sociais. Ao falar, finalmente, com um filho do ex-prefeito, conhecido por "Pé-de-Boto", vim a saber que a notícia era falsa. O amigo do Face tinha recebido mensagem da suposta morte no aplicativo zap-zap, oriunda do município de Abaetetuba,

A TV Liberal, porém, não teve o o mesmo cuidado e postou a "morte" no twitter,  apagando depois. O estrago já estava feito e a notícia falsa havia se espalhado  pelo zap-zap e whatsapp.

A mensagem que recebi e fui checar era esta: "acabaram de matar o ex-prefeito de Igarapé-Miri, Ailson Santa Maria do Amaral, vulgo "Pé de Boto". Segundo polícias civis ele estava na localidade de Panaquera no interior do município e alguns seguranças ao avistarem a lancha que conduzia os policiais começaram a disparam contra os mesmo, começando um tiroteio que ocasionou o baleamento de um segurança e o ex-prefeito que veio a óbito no local e o segurança foi conduzido de lancha até o município de Abaeté. O corpo de Pé de Boto continua no local e aguarda remoção do Instituto Médico Legal".
 
O bom jornalismo não pode, nem deve, pautar-se por redes sociais, na verdade uma terra de ninguém onde verdades e mentiras se completam e confundem. É preciso apurar, checar à exaustão, até confirmar se uma informação é falsa ou verdadeira.
 
A TV Liberal precisa vir a público reconhecer o erro e pedir desculpas por tê-lo cometido.
 
O ex-prefeito Ailson Santa Maria do Amaral, na verdade, está com prisão preventiva decretada pelo Tribunal de Justiça do Pará desde a semana passada. Ele não foi encontrado em Igarapé-Miri e já é considerado foragido. É acusado de várias irregularidades quando exercia o cargo de prefeito.
 
A mais grave é a de ter organizado e chefiado um grupo de extermínio na região, contando com serviços de policiais militares e civis. Ele alega inocência e se diz vítima de adversários políticos.
 
O filho dele, de prenome Pablo, com quem falei ontem, por telefone, me disse que o pai se encontra fora do Pará e que por meio de seus advogados ingressou no TJ com pedido de habeas-corpus. Se o Tribunal indeferir o pedido, segundo Pablo, o ex-prefeito irá se apresentar à polícia. 
 
Veja a postagem que a TV Liberal fez no twitter, praticando na linguagem do jornalismo a famosa "barrigada".
 
 

Um comentário:

  1. Carlos Mendes vou usar seu post para meus alunos de jornalismo verem quando não fazem o básico do que nós jornalistas /professores ensinamos acontece disso pra pior. Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir